O QUE FAZER QUANDO SE ESTÁ APAIXONADO(A)?

Por João Pedro Roriz

Estar apaixonado pode ser muito complicado. O que inicialmente parece bom, às vezes se transforma em um fardo difícil de carregar. Afinal “Paixão” é uma palavra que serve como sinônimo para “emoção”. E não são poucas as emoções que sentimos quando estamos “in love”.

É muito comum que a pessoa apaixonada apresente quadros de euforia e melancolia

Você sabia que a paixão é descrita por alguns especialistas como um sentimento que faz a pessoa perder contato com a sua individualidade? Sim, pois quando estamos apaixonados, somos tentados a nos anular em prol da pessoa amada.
***
- Vamos estudar, Renato?
- Não, não. Vou ficar aqui esperando a Aline.
- Mas nós temos que estudar! A prova é amanhã.
- Mas e se ela passar e eu não estiver aqui?
***
Não é raro uma pessoa apaixonada transformar o ser amado em um mito, um objeto de desejo muitas vezes idealizado. Em um primeiro momento, essa pessoa se torna única, poderosa e fundamental para a existência de quem ama.
***
- Você viu, menina?
- O quê, amiga?
- O Henrique! Marcou um golaço de cabeça hoje no recreio.
- Ué, que estranho, pensei que você odiasse futebol.
- Ah, menos quando o Henrique joga! É tão fácil gostar de tudo quando ele está perto (suspiro).
 ***

No cartton, Puca está sempre apaixonada, persegue o seu amado e passa a ser evitada

Mas idealizar os outros nunca é bom, afinal, uma pessoa idealizada não é real. A pessoa que idealiza o ser amado fica sujeita a muitas decepções, pois ninguém gosta de obedecer uma norma de conduta imposta por outra pessoa.

- Pô, descobri que o Henrique é maluco!
- Por quê, amiga?
- Porque ele não faz nada que eu mando.

Ninguém é obrigado a corresponder uma paixão, nem tão pouco agir de acordo com o interesse do outro. Nesse sentido, é imperioso que a pessoa apaixonada tome as seguintes cautelas:

1- DEMONSTRE INTERESSE

Demonstrar interesse pela pessoa amada é o primeiro passo para saber se ela deseja ter qualquer tipo de relacionamento. Essa sondagem deve ser sutil e acontecer em um local apropriado (nada de ficar babando pelo vizinho de carteira em plena aula de matemática).

2- PACIÊNCIA E ATITUDE

Se a pessoa amada demonstrar que o interesse é mútuo, vale a pena oportunizar momentos para estar junto com ela, mas sem forçar a barra. Faça a sua parte e depois deixe que as coisas aconteçam por si.

3- NÃO ENVOLVA MUITA GENTE

Fale de suas intenções apenas para pessoas de sua inteira confiança. Não desperdice a sua energia contando de seus interesses pessoais para estranhos ou pessoas com quem você não tem afinidade. Se você consiguir conquistar os seus objetivos junto à pessoa amada, deixe que as pessoas saibam dos acontecimentos naturalmente (ou seja, nada de beijar alguém e no dia seguinte colocar o fato no jornal).

4- COMPORTAMENTO

Quando estamos apaixonados, passamos a nos comportar de forma diferente. É normal. A adrenalina pode fazer você pular de paraquedas para estar perto do garoto ou da garota que você gosta. Mas calma! Importante nesse momento é que você mantenha a sua personalidade, pois assim seu/sua amado(a) terá a oportunidade de conhece-lo(a) melhor. Não desperdice a oportunidade de conhecer melhor quem você gosta, mas também não force a barra para que isso aconteça. E cuidado: não seja chato(a)! Se a pessoa amada não quiser se relacionar, respeite.

5- O QUE EU FAÇO SE TOMAR UM “TOCO”?

Quem nunca tomou um toco nessa vida? Faz parte. Independentemente da forma como isso acontecer, fique certo(a) de que não há nada de errado com você. As coisas acontecem quando têm que acontecer. Existem 6 bilhões de pessoas no planeta. Certamente outra pessoa será merecedora de tudo aquilo que você pode ofertar.

O Pequeno Príncipe

6- NAMORAR OU NÃO NAMORAR, EIS A QUESTÃO

Namoro é algo que requer comprometimento e paciência. Estar com uma pessoa e dividir com ela momentos de sua vida pode ser muito agradável, mas também pode, em alguns momentos, causar conflitos. Natural! Portanto, antes de pedir alguém em namoro, esteja certo de que é isso que você quer. Lembre-se da frase de Antoine de Saint-Exupéry em “O Pequeno Príncipe”: “tu és responsável por tudo aquilo que tu cativas”. Caso deseje namorar, não imponha regras, deixe as coisas acontecerem naturalmente. É normal que o casal se conheça melhor durante o convívio. Nesse sentido, se você tem menos de 16 anos, vale a pena também consultar os seus pais e saber deles se você possui autorização para namorar. Não se assuste se seus pais quiserem conhecer a pessoa que você gosta antes de dar a bendita autorização.  

7 – FICAR É LEGAL?

Ficar é legal, é permitido e pode ser bom para conhecer alguém mais profundamente. Porém, se você é adolescente, nós sugerimos que você tome alguns cuidados: ficar com pessoa com mais ou menos a mesma faixa etária, ficar com uma pessoa de seu convívio e que você já conheça bem, marcar encontros com uma pessoa que conheceu na Internet apenas em lugares movimentados (shoppings por exemplo), ter critério de escolha (isto é, ficar com quem você realmente se interessa e não por causa da “pilha” da galera ou porque pretende provar algo para alguém), ficar com alguém somente se entender que esse é o primeiro passo para algo mais profundo (afinal, é como eu costumo dizer, “liberdade sem poder de escolha, é cativeiro”).

_______________________________________________________________________

João Pedro Roriz é escritor juvenil e jornalista. Todos os direitos reservados ao autor.

***

CLIQUE AQUI E CONHEÇA AS PALESTRAS DRAMATIZADAS DE JOÃO PEDRO RORIZ

***

CLIQUE AQUI PARA COMPRAR OS LIVROS DE JOÃO PEDRO RORIZ

***

***